domingo, 2 de dezembro de 2012

O POVO MAIS LONGEVO DO MUNDO




O envelhecimento  precoce é um dos problemas com que se depara o homem actual que vive em stress e desgaste constante na sua luta pela sobrevivência e deixou de viver de forma sã  e natural, tendo alterado os génes do corpo carnal. Isto sucede nos paises onde o materialismo e o consumismo se tornou uma forma de vida 'normal' cada vez mais artificial numa correria constante dentro do "Progresso Material". Então sucumbe-se cada vez mais cedo com AVC's, enfartes do coração, cancer, etc., embora digam o contrário na grande trama do jogo politico e económico dos paises que se deparam com uma grave crise de dividas e 'déficites' orçamentais que não havia em tempos ancestrais.

Portanto, morre-se hoje mais jovem quando se devia morrer de velhice com uma idade que deveria ultrapassar os 100 anos sem qualquer doença, mas tal não acontece. Porém, há um povo que escapa  à nocividade da nossa sociedade moderna e vive mais tempo do que qualquer outro povo da Terra. São os Hunzas que habitam nas Montanhas dos Himalaias e chegam facilmente aos 130 anos, havendo registos de 145, tendo assim uma vida longa e sem problemas de saúde, pois não tomam medicamentos para doenças que não existem na sua Comunidade. Seus hábitos são saudáveis e sua alimentação é basicamente  vegetariana, mantendo uma actividade física e aspecto invejável. Um ‘idoso’ de 80 anos tem a mesma frescura e aparência física de um homem de 40 anos do mundo ocidental.

É um povo pacífico e feliz que vive sem as mesmas preocupações dos outros povos mais ‘evoluidos’ do Planeta onde a luta frenética pela sobrevivência, a exploração do homem pelo homem, a ganância e ambição de uns e as necessidades de outros, levam a maior parte dos humanos a viver uma vida atribulada cheia de angustias, dor ou aflição.




Os Hunzas vivem exclusivamente da agricultura e  mostram como sabem viver dela mais tempo, de forma sustentável e saudável, sem problemas de idade de reforma nem pensões, não precisando de cartões de crédito ou contas bancárias, vivendo sem essas preocupações. Eles têm a melhor herança do Universo que não malbaratam como a maior parte das pessoas na Terra e por isso merecem a riqueza da Natureza que desfrutam todos de forma justa e igual. Trabalham para o bem comum e não acumulam riquezas nem mais do que precisam para viver livres numa comunidade onde não há roubos, corrupção, miséria, fome ou excessos como na nossa civilização.

Têm sido objecto de estudo da comunidade médico/cientifica que quer descobrir o ‘segredo’ de sua longevidade mas ele é tão simples e nada tem de anormal, bastando apenas viver de forma sã e natural. Um médico canadiano,  o Dr. Mac Carrisson, chegou mesmo a viver durante 7 anos na comunidade dos Hunzas e verificou de perto tudo o que fazem para manter um estado de saúde perfeito que vai desde a frugalidade (comer pouco) à prática do jejum de vários dias pela Primavera e caminhar vários kilómetros por dia todo o ano. Isto além do trabalho árduo de cultivarem a terra. Praticam também exercícios de respiração, meditação e de relaxamento e suas vidas decorrem assim sem o stress diário tão comum na nossa Sociedade que sucumbe doente na Modernidade.      

Fica aqui mais esta dissertação para que cada um tire sua própria conclusão.

Rui Palmela


3 comentários:

  1. Antonio Maria Marialva05 dezembro, 2012

    Amigo e irmão Rui Palmela.

    Concordo plenamente com o irmão e tua dissertação é verídica posto que já ouví e lí sobre tal povo. Alíás as Cordilheiras do Himalaia são campeãs de longevidade de seus povos.
    Também estes povos foram inspiração para Marx, Roussel e outros que sonhavam com uma sociedade perfeita (esquecí de Lietz).
    Ora, viver num clã, onde tudo é livre, inclusive o sexo sem tabus criados pelas religiões, com uma alimentação absolutamente natural, sem a política corrupta e os inúteis e descabidos anseios materiais, qualquer um vive 130 anos. Também, este e outros povos semelhantes têm um estreito contacto com nosso "Irmãos Cósmicos" (em razão da purificação corporal e mental). Contudo as mensagens não diferem muito das passadas para os Maias e estes povos (por desconhecimento científico) as decodificam em forma de Religião, onde existes os "picaretas" sacerdotes também.
    Pergunto ao irmão:- Quem hoje em dia se sujeitaria a tal vida monástica? Tal grupamento humano ainda se mantém neste estado de ignorância porque não tomou Coca-cola, não comeu hamburguer e não conhece a televisão e o computador. (As mesmas razões dos povos Islâmicos de alguns anos atrás). É óbvio e ululante que a ignorância, a falta de conhecimento e a involução gera uma certa "felicidade", porém falsa e efêmera, haja vista que quando um membro do clã se vicia em drogas naturais (à exemplo da cocaína, heroína, santo Daime e outras), ele é morto. Não há crimes porque quem cometer é eliminado a exemplo do que acontece no Irão mais antigo. Não se alimemtam de carne porque não existe o gado vacum e nem cordeiros, posto que a única espécie (rara) é a cabra da montanha, cuja pele é usada como vestimenta e cobertores. Também são "gegetarianos" na maior parte de raízes, posto que alface e brócolis não germina com ar rarefeito.
    Porventura o amigo ou outro vegetariano bem como os repórtes do Discoverer Channel ou do History Channel ficaram lá? Agora se o Sócrates e seu apaniguados fizerem um hotel 5 estrêlas incrustado nas rochas e gêlo, construi teleféricos, já é logo que tal povo abandona tua cultura milenar. Portanto, meu amigo, o "dever ser" nem sempre é"! Tal povo não serve mais de exemplo nem para nossos domésticos animais acostumados que são à rações da Purina.
    Por outro lado, o exemplo e a dissertação é ótima para provocarnos à reflexão de nossas vidas desordenadas e mais, desvairadas que nos levam à morte prematura e à uma existência infeliz e inconsistente.Devemos repensar e agir sobre nossa alimentação, nosso consumismo sem sentido e aprendermos e apreendermos que somos todos um em nós mesmos enquanto humanos, numa unidade mágica com a Mãe Terra e o Universo.

    Grande abraço.

    ResponderEliminar
  2. Prezado amigo e irmão de alma António Marialva,

    É sempre um prazer receber teus comentários neste Blog que são sempre uma mais valia na qualidade de meus textos.

    Na verdade a nossa Sociedade Moderna sucumbe doente por ter inventado um sistema de sobrevivência onde as pessoas mendigam sua própria existência e terminam seus dias em dor ou violência. Este é um facto que revela a nossa (ainda) pouca inteligência apesar de haver já tanto progresso tenológico, na medicina e na ciência, mas haver pouca Consciência.

    Quanto aos Hunzas, eles mostram como se pode viver sem tudo isso e ser feliz verdadeiramente...

    Acrescento que um médico canadiano, o Dr. Mac Carrisson, viveu durante 7 anos na Comunidade dos Hunzas e verificou de perto tudo o que fazem além de uma alimentação vegetariana para viver uma vida longa e feliz, sem tantas necessidades da nossa vida moderna. Ele se apercebeu que os Hunzas sabem mais do que imaginamos e prescindem de coisas que tanto apreciamos. De resto, os vícios e maus hábitos dos seres humanos se deve a uma invigilância ou desatenção face aos erros e males da nossa civilização. Eles estão livres disso e não desejam certamente cultivar tais males na sua Comunidade que deveria servir de exemplo à nossa Humanidade.

    Um abraço fraterno.

    Rui Palmela



    ResponderEliminar
  3. Amigo e irmão d'alma Rui Palmela.
    Já que o mundo não acabou neste 21/12/2012, então vai lá!...

    Parece que estamos a nos tornar um povo longevo. Seremos mais logevos ainda, se mudarmos nossos hábitos comportamentais e alimentares. Mais longevos ainda, se entendermos que o Planêta Terra é nossa "casa" e todos nós somos uma única "família" e até mesmo todos os animais (inclusive as baratas e os peçonhentos) são nossos bichinhos de estimação e que - apesar de serem "feinhos" - devemos amá-los como se fossem nossos cães e gatos. Devemos, caminhar, ver, ouvir e sentir "Nossa Casa" e agradecer "À Ela", por nos deixar morar, viver e comer dos "Teus Frutos". Devemos olhar aos céus - não com temor - mas com doce e suave amor admirando toda a beleza que nos foi dada. "O Pai Sol ama a Mãe Terra" e ambos amam teus filhinhos e os protegem de todo o mal. Nossos "Irmãos Cósmicos" - que moram nas "Estrêlas"
    do "azul infinito", nos visitam no "azulovita", com tuas Naves multicôres à brindarem o "canto mágico da Sereia da Vida". Água, terra, sol e mar...Tudo foi-nos dado como "morada digna dos Deuses".
    Em nossa "leveza de ser o que somos", devemos cuidar de nossa "Casa" e mantê-la limpa e pura como as águas de um cristalino rio...
    Façamos todos nós uma "Pausa para Meditação"...Sintamos a Terra, o Sol, as Estrêlas e todo o Universo dentro de cada um de nós...Devemos pois, "sentir tudo" como "tudo o que é" e "tudo o que sempre foi"...Na "Pureza do sentir" reside todo conhecimento, toda religião, todo misticismo e toda a profecia do UNIVERSO !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    Grande abraço a todos os irmãos desta nossa "Casa" e a todos os irmãos das "moradas" do Universo!

    Em nome de JESUS CRISTO, amém!

    ResponderEliminar

Related Posts with Thumbnails