quinta-feira, 2 de junho de 2011

UM TESTEMUNHO IMPORTANTE DA PROFª JANE PLANT


Esta é uma história real, da professora Jane Plant, geoquímica e chefe científica do British Geological Survey, que conta sua experiência pessoal de como sobreviveu a 5 tumores mamários e às práticas agressivas da radioterapia e quimioterapia para tratar seu cancro maligno.

A sua história é parecida com a de muitas outras mulheres quando sentiu o mesmo pânico ao lhe diagnosticarem um cancer na mama. Ela confiava no processo de tratamento oncológico convencional e submeteu-se a uma mastectomía (remoção completa da mama) e à extracção dos seus ovários como é usual nestes casos por causa da produção de estrogénio. Mas nada resultou e o câncer reproduziu-se até 4 vezes.

A professora Plant conta tudo no seu livro “Your life in your hands” (A Tua Vida Nas Tuas Mãos) onde relata sua própria experiência e explica como chegou à ideia que acabou por salvar a sua vida, quando junto com o seu marido (também cientista) fizeram uma viagem à China onde constataram que naquele país esta enfermidade é quase inexistente, pois só uma em cada 10.000 mulheres morre de cancro da mama enquanto no Reino Unido os números oficiais falam de uma em cada 12. E isso se deve a algo muito simples que as mulheres ocidentais deviam saber e levar em atenção, porquanto...

“Começámos a investigar sobre a forma de vida e alimentação dos orientais até que chegámos à ideia que me salvou a vida: as mulheres chinesas não tinham câncer de mama nem os homens desenvolviam tumores prostáticos porque são incapazes de tolerar o leite de vaca e, portanto, não o tomam. Mais sabemos que os chineses são incapazes de compreender a preocupação dos ocidentais por tomar leite de vaca. Eles nunca o utilizam e muito menos para amamentar os seus bebés! E se pensamos, não pode ser uma simples casualidade que mais de 70% da população mundial tenha sido incapaz de digerir a lactose. Hoje creio que a natureza tenta avisar-nos de que estamos comendo um alimento errado”....

Refere ainda a cientista no seu livro, dando seu testemunho pessoal, dizendo que:

“Duas semanas depois da minha 2ª sessão de quimioterapia e uma semana depois de haver suprimido o leite e seus derivados, o tumor começou a picar-me. Logo abrandou e começou a minguar. Umas seis semanas depois havia desaparecido. Meu oncologista, do hospital Charing Cross de Londres, não pôde reprimir seu exclamar maravilhado quando me disse: “Não o encontro!” , pois o cancro não existia mais depois de ter invadido meu sistema linfático. Felizmente, aquele oncologista conseguiu superar seu cepticismo inicial e agora recomenda aos seus pacientes uma dieta sem produtos lácteos”.

A professora Jane Plant decidiu partilhar sua história publicando um livro e dando palestras e de imediato muitas mulheres afligidas de cancro da mama se puseram em contacto com ela para pedir-lhe conselhos. E seus tumores desapareceram também apenas e só por terem eliminado de sua dieta os lacticíneos que tanto consumiam. Isto é elucidativo!

Explica Jane Plant que “agora não tenho mais dúvidas de que a relação entre os produtos lácteos e o câncer de mama é similar à que existe entre o tabaco e o câncer de pulmão”.

Mas não só isso porque já em 1989 o Dr. Daniel Cramer da Universidade de Harvard, determinou que estes produtos estão implicados na aparição do câncer dos ovários. E os dados sobre o câncer da próstata conduzem a conclusões similares. A própria Organização Mundial de Saúde (OMS), afirma que o número de homens que padecem deste câncer na China, é de 0,5 % cada 10.000 enquanto no Reino Unido o número é 70 vezes maior. A chave está, pois, em suprimir lactiníneos da alimentação humana, bem como outros alimentos nocivos e vícios perniciosos como o alcool e o tabaco.

Para a professora Plant o leite de vaca é um grande alimento mas somente para os bezerros! E afirma convencida que a Natureza não se enganou nem o destinou a nenhuma outra espécie! O homem no entanto é o único que o consome em quantidades exorbitantes como se fosse um alimento imprescidível à sua saúde, o que não é verdade! O mesmo se passa com o consumo de cadáveres de animais que consome ao longo da vida apesar de não ser um carnívoro mas comendo mais carne do que todos os predadores da natureza juntos. Por isso sofre as consequências dessa famigerada forma de alimentação.

Pausa para reflexão!

Rui Palmela

2 comentários:

  1. antonio maria claret soares de marial04 junho, 2011

    Caro Rui.

    Ora, a referida DRA se tivesse estudado ciências naturais saberia que o cancro é uma doença jamais diognosticada em sua origem.O câncer não é doença virótica ou bacteriana, mas simplesmente uma "descompensação" molecular oriunda do mêdo e desmandos "espirituais"!
    Nosso deus "cria", através do mêdo tais doenças para nos manter submissos à teu "sistema".
    Enquanto o ser humano mantiver o mêdo e os "teus deuses" no coração, as doenças existirão!
    Por enquanto é só isso!
    Abraços!

    ResponderEliminar
  2. O cancer é uma degenerescência última das células que tem várias origens desde kármicas (de vidas passadas) que normalmente os médicos chamam de causas 'genéticas' ou genealógicas hereditárias, até ás patológicas devido aos erros e maus hábitos alimentares, bem como os vícios perniciosos à saúde (tabaco, alcool, etc) e integridade do ser que é uma "unidade trina" (corpo-mente-espírito) que devia respeitar mais a sua humana e verdadeira condição, mas desde há muito que degenerou vivendo de forma contrária ás leis da vida sofrendo por isso o reflexo de muita degradação. As doenças são o resultado disso e negar essa realidade é não querer ver nem entender esta verdade.

    O cancro é por assim dizer o "último recurso" quando outras pedagogias não resultam para o aperfeiçoamento ou aprimoramento da alma humana que persiste no caminho do erro e da condenação e se livra assim de energias que nenhum AVC, ataque cardíaco ou apoplético beneficiaria para sua libertação.

    ResponderEliminar

Related Posts with Thumbnails